Sem reconhecimento na Capital, banda faz sucesso fora

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

O Blog do Bulhões inicia uma temporada de entrevistas. E a nossa primeira é com a banda SouldBra, a galera faz história em Mato Grosso do Sul. Mas a valorização vêm de fora. Em seu canal no Palco MP3 já teve mais de 111 mil acessos. Confira o bate papo com o vocalista Nando Dutra.

 

Jhoseff Bulhões- A banda existe há quantos anos ? Quem são os integrantes?

Nando Dutra– Há três anos. São eles: Bruno Piva, Luigy Lobo, Walt Corrêa, Nando Dutra.

 

Jhoseff Bulhões: São todos de Campo Grande?

Nando– Todos menos o Bruno, ele é paulista.

 

Jhoseff- As composições são todas autorais? Falam sobre o que?

Nando– Sim todas, falam de positividade, cotidiano, amores e desigualdade social.

 

Jhoseff- Recente vocês lançaram uma nova música? Ela fala sobre o que?

Nando– Lançamos um EP com duas musicas, ambas são sobre amores um impossível e um que sobrevive apesar das diferenças.

 

Jhoseff – Vocês tem uma quantidade expressiva de acessos no Palco MP3. O que leva tanto acessos?

 

Nando– Mais de 111 mil acessos, 98 mil downloads, não faço idéia do porque (risos) as pessoas tem se identificado com nosso som. Na ultima votação do palco MP3 ficamos em destaque nacional a frente do Jota Quest e Papas da Língua.

 

Jhoseff- Por que a banda não tem visibilidade em MS, mas fora é reconhecida?

 Nando– Terrível, nossa maior valorização vem de fora e da mídia local as músicas viram tema de abertura de programa local, uma delas virou single de campanha do vereador mais votado na última eleição municipal.

 

Jhoseff- O que precisa para melhorar no sentido da música no estado?

Nando– Apoio cultural em todas as áreas a cultura local precisa ser incentivada nas escolas tanto do município quanto o estado.

 

Jhoseff- Vocês receberam o contato de um produtor nacional? Como estão as negociações?

Nando– O Tadeu Patolla quis produzir um disco nosso, mas por falta de verba não conseguimos ir para São Paulo gravar com ele, Tadeu Patolla foi produtor de alguns discos do Charlie Brown Jr.

 

Jhoseff- Considerações finais.

Nando- Queremos fazer música, lutar pelo autoral, e deixar nossa mensagem e fazer diferença na vida das pessoas.