Após drenagem e remendos profundos, Bandeirantes começa a receber asfalto novo

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Com várias frentes de serviço em andamento de forma simultânea,  as obras na Avenida Bandeirantes entram numa fase em que será acelerado o recapeamento. Até agora, já foi aplicado asfalto polimerizado numa extensão de 1,250 km da  faixa da pista reservada ao corredor de ônibus,  entre a Avenida Afonso Pena até a altura da Rua Santa Adélia.

Até sexta-feira, o recapeamento chegará ao cruzamento com a Avenida Salgado Filho, cobrindo uma extensão de 1 km desde a bifurcação da Bandeirantes com a Afonso Pena. Na primeira quadra (até a 26 de Agosto), o asfalto já foi refeito nas quatro pistas de rolamento.

Nesta quarta-feira, o recapeamento foi feito numa das quatro pistas, recomeçando na altura da Rua Paissandu,  onde tinha  sido interrompido  na sexta-feira passada. Com esta estratégia de aplicar a capa asfáltica por faixa, a obra pode ser executada sem que haja necessidade de interditar o trânsito da avenida por onde circulam diariamente 45 mil veículos.

Segundo o secretário de Infraestrutura e Serviços Públicos, Rudi Fiorese, o trabalho mais demorado (drenagem, remendo profundo em que a base do pavimento foi refeito) está praticamente concluído. O ritmo do recapeamento depende basicamente das condições climáticas. Até agora, foram implantados 3,2 km de drenagem; construções 64 poços de visita e 59 bocas de lobo, foram aplicados 7.69,85 metros quadrados de pavimento no fechamento de valas; realizados 1.195 metros quadrados de remendo profundo; 2.332 metros de calçados e 3.811 metros quadrados de calçadas.  Foram aplicados 3.443 metros quadrados de massa asfáltica no corredor de ônibus e 10.238 nas demais pistas.

O projeto de drenagem inclui a implantação de 1.750 metros de tubulação na própria avenida; 1.283 metros de conexões nos poços de visita para ampliar a capacidade de captação das bocas de lobo (os chamados bigodes);mais 710 metros de rede para conexão com a rede da Avenida Manoel Costa e Silva (subindo Rua a Raul Maluf);  tubulação pela Rua Santa Adélia até 2 de Março, no conjunto Cooaphama, fazendo com que a enxurrada desague no Rio Anhandui, perto do Shopping Norte Sul.

Foram implantados ramais em ruas transversais  a Bandeirantes para  conexão com as redes existentes nos bairros Taquarussu e Jacy, onde será aproveitada a rede implantada pelo Exército nas Ruas José Paes de Farias e Itália, como parte do projeto de recapeamento da Rua Brilhante.

Junto com a drenagem, a Águas Guariroba substituiu a rede de água de canos de amianto por PVC e a MSGÁS implantou  ramal de gás natural entre as avenidas Salgado Filho e Afonso Pena, expansão de serviço planejado para evitar que no futuro o asfalto novo tenha de ser danificado para abertura de valeta.

O recapeamento     

A Avenida Bandeirantes, desde a rotatória com a Avenida Manoel da Costa Lima, até o final na Avenida Afonso Pena, tem 3,8 quilômetros. Ela Integra, junto com as ruas Guia Lopes/Brilhante/ Marechal Deodoro e Gunter Hans, o corredor sudoeste do transporte coletivo, ligação do centro da cidade com os terminais de integração Bandeirantes e Aero Rancho, onde passam diariamente mais de 60 mil usuários, seja em ônibus ou carro particular.

Serão investidos na Avenida Bandeirantes, incluindo drenagem, recapeamento, sinalização e implantação de sete estações de pré-embarque no corredor do transporte coletivo, R$ 6.462.933,73 (recursos do PAC Mobilidade), e R$ 2.297.378,94 (contrapartida do Governo do Estado). Até agora, foram investidos  R$ 3.696;945,44.

Está sendo  aplicada uma camada de quatro centímetros de CBUQ. Na pista do corredor, o material usado é  o asfalto polimerizado, enquanto a área das sete estações de pré-embarque programadas terá o chamado piso rígido.

(Com Assessoria PMCG)

Foto: Divulgação/Assessoria